Formas de regular o apetite


Leptina: É ele que diz ao organismo: “Pare de comer agora!”. Pessoas obesas produzem esse hormônio em excesso e ignoram a ordem, ficando com fome mesmo depois de uma refeição farta. Otimize-o praticando exercícios de alta intensidade, como corridas de 20 minutos, três vezes por semana,ou moderada, como caminhadas de meia hora, todos os dias.

Grelina: Sua concentração para regular o apetite se mantém alta no jejum, caindo imediatamente depois da refeição. Deixá-lo em desequilíbrio aumentará a ingestão de alimentos – e você não quer isso, certo? Portanto, tenha uma boa noite de sono, com duração de sete a oito horas, e mantenha-o na linha.

Cortisol: Está diretamente associado ao estresse. Diante de situações de pânico, ele dispara e é capaz de fazer você atacar a geladeira sem pensar duas vezes. Quer domá-lo? Relaxe. Praticar meditação ou ioga e ouvir músicas tranquilas já dão conta do recado.

Estrogênio: A quantidade desse hormônio no corpo varia ao longo do mês, dependendo de seu ciclo menstrual e se você ingere ou não anticoncepcionais. Sua queda faz que o nível de cortisol aumente – e aí, é claro, a fome não demora a daras caras. “Invista em alimentos como tofu, leite de soja, frutas vermelhas, feijão, maçã, mamão, ameixa, beterraba, tomate, aveia, linhaça e grão-de-bico”, aconselha Bianca Evans, nutricionista esportivado Studio Funcional Fit (RJ).

Insulina: “Seu excesso no sangue mantém a sensação de fome mesmo quando se está bem alimentado, o que leva à compulsão por doces e massas”, diz Luciana Harfenist, nutricionista funcional (RJ). Fuja de carboidratos refinados e alimentos processados e tudo dará certo.

LEIA MAIS IMPRIMIR ou SALVAR COMPARTILHAR ou SALVAR SALVAR PDF