Farinha de maracujá: benefícios além do emagrecimento


De linhaça, de berinjela, de banana verde… As farinhas funcionais já estão presentes em praticamente todas as lojas de produtos naturais e são bastante conhecidas entre as pessoas que seguem uma alimentação saudável. A maioria é apontada, inclusive, como aliada de quem deseja perder peso. Mas, entre essas farinhas, uma se destaca por oferecer benefícios que vão além do emagrecimento: a farinha de maracujá. Ela é feita a partir da parte branca da casca do maracujá, que é a porção mais rica em nutrientes. A consideração é que grande parte desses nutrientes se preserva na preparação da farinha, o que garante a ela propriedades importantes à saúde. Além disso, a farinha de maracujá é um alimento que naturalmente não contém glúten. Quer saber como essa farinha pode ser útil na sua dieta e importante para a sua saúde?! Confira todas as informações sobre ela abaixo.

Propriedades da farinha de maracujá

A nutricionista e personal diet Sabrina Lopes ressalta que a farinha de maracujá é feita a partir da parte branca presente na casca do maracujá triturada. “Essa parte é rica em vitamina b3, fósforo, ferro, cálcio e também é rica em fibras solúveis como a pectina”, diz. Em relação ao suco feito com a polpa da fruta, por exemplo, a farinha de maracujá se destaca por ter até 10 vezes mais fibras. Vale destacar que não existe uma tabela nutricional oficial da farinha de maracujá, pois sua composição pode variar de acordo com o fabricante. Mas, a seguir, você conhece as quantidades dos principais nutrientes dessa farinha de acordo com a composição de uma determinada marca vendida no mercado, como exemplo: 

Principais benefícios da farinha de maracujá

Engana-se quem pensa que a farinha de maracujá só pode ajudar aquelas pessoas que desejam perder peso. Abaixo você confere os benefícios do seu consumo: 1. Prevenção ao diabetes Sabrina explica que, devido à presença da pectina, quando a farinha de maracujá é consumida, ela forma um gel dentro do estômago. “Por isso, dificulta a absorção de carboidratos, o que faz com que previna o diabetes”, diz. Diabetes é uma doença crônica que atinge muitas pessoas e que ocorre quando a insulina não é suficiente ou não consegue agir de maneira adequada para metabolizar o açúcar presente nos alimentos (transformando em energia), resultando no excesso de glicose na corrente sanguínea. 2. Promoção de saciedade e emagrecimento Sabrina destaca que a significativa presença das fibras na farinha de maracujá também ajuda a promover saciedade. As fibras, de uma forma geral, contribuem para a sensação de saciedade, mas a pectina, um tipo de fibra insolúvel, se destaca ainda mais por ter a função de absorver líquido e formar um “gel” no estômago. Com isso, é capaz de reter por mais tempo o bolo alimentar no estômago e intestino, já que torna mais lenta a absorção dos nutrientes nele contidos. O resultado é a sensação de saciedade por mais tempo, o que evita um consumo calórico excessivo e, consequentemente, pode levar à perda de peso. 3. Melhora da digestão Sabrina lembra que, ainda devido à presença das fibras, a farinha de maracujá colabora com a digestão. Isso acontece porque qualquer alimento com significativa quantidade de fibras facilita a passagem do bolo alimentar pelo intestino grosso, otimizando o trânsito intestinal. Além disso, as fibras são fermentadas nos intestinos, o que estimula a microbiota (também conhecida como flora intestinal), bactérias do bem que ajudam na digestão. 4. Reduz as taxas de colesterol e triglicerídeos Ainda devido à pectina, pode acontecer também uma redução nas taxas de colesterol e de triglicérides. Isso porque o “gel” formado por essa fibra não só reduz a absorção do colesterol como também se conecta a essa gordura, fazendo com que ela seja eliminada no fim da digestão. 5. Prevenção e tratamento da Síndrome Metabólica A Síndrome Metabólica (SM) é caracterizada pela reunião de vários fatores de risco para doenças cardiovasculares: obesidade central, hipertrigliceridemia, hipercolesterolemia e hipertensão arterial. Um estudo apontou que o uso da farinha de maracujá exerceu benefícios clínicos em quase todas essas anormalidades envolvidas na SM: reduziu a glicose basal e hemoglobina glicada, os triglicerídeos, a circunferência abdominal, a hipertensão e aumentou os níveis de HDL. O estudo avaliou o efeito da farinha com 43 voluntários, com idade entre 57 e 73 anos, de ambos os gêneros. Durante 60 dias, os participantes diariamente fizeram uso de 30 g do produto e, em todos eles, foram determinados antes e após a suplementação com a farinha: glicose, hemoglobina glicada, frações lipídicas, além da antropometria e pressão arterial.

Farinha de maracujá emagrece?

 De acordo com Sabrina, é verdade que a farinha de maracujá, aliada a uma alimentação balanceada, pode auxiliar no processo de emagrecimento. “Devido à presença das fibras que promovem a sensação de saciedade e, assim, o indivíduo passa a consumir menores quantidades de alimentos durante as refeições”. Mas, vale lembrar, o alimento não faz milagres e, sozinho, não fará ninguém perder peso. Além disso, é muito importante consumir bastante água devido à presença de fibras – que só têm esse efeito positivo se o consumo de água estiver adequado. Como consumir a farinha de maracujá Sabrina explica que a dose indicada é uma colher de sopa de farinha de maracujá antes das principais refeições, almoço e jantar. “Pode ser dissolvida em sucos e iogurtes, batida com frutas ou colocada em saladas”, diz. Uma dica também é usar a farinha de maracujá quando, eventualmente, for comer um prato “fora da dieta”. Por exemplo, vai saborear uma pizza hoje?! Então, 30 minutos antes pode colocar uma colher da farinha em água ou suco. Isso porque ela vai ajudar a proporcionar saciedade e diminuir a absorção de glicose. A nutricionista Sabrina lembra que não devem ser consumidas mais do que três colheres de sopa da farinha de maracujá por dia. Contraindicações e riscos do uso da farinha de maracujá Sabrina destaca que não existem contraindicações para o uso da farinha de maracujá. “Porém, devemos tomar cuidado com as quantidades ingeridas, porque a alta ingestão de fibras pode causar diarreia e distensão abdominal”, diz. “Também devemos alertar que a pessoa que consumir deve ingerir água, devido à presença das fibras que só trazem efeitos se o consumo de água estiver adequado, caso contrário podemos ter um quadro de constipação intestinal”, acrescenta a nutricionista. “Por isso para garantir os benefícios, é importante procurar um profissional e associar o consumo da farinha de maracujá com uma dieta equilibrada”, lembra Sabrina. Onde comprar farinha de maracujá A farinha de maracujá pode ser encontrada na maioria das lojas de produtos naturais e em alguns supermercados. É possível ainda comprá-la pela internet. Farinha de maracujá caseira Sabrina explica que é possível e mais seguro fazer a farinha de maracujá em casa, “porque garante a procedência do produto”. Abaixo a nutricionista explica o passo-a-passo:

  • Coloque 6 maracujás de molho por 15 minutos em 1 litro de água com 1 colher (de sopa) de água sanitária;
  • Depois, lave em água corrente e retire as polpas.
  • Reserve a polpa da fruta para outras preparações como sucos.
  • Separe a parte branca da casca, corte-a em tiras e leve ao forno médio por meia hora.
  • Após esfriar, bata no liquidificador até virar farinha;
  • Peneire e guarde em um recipiente com tampa e consuma em até 3 meses.

A farinha de maracujá é versátil e pode oferecer vários benefícios à saúde, dando uma “forcinha”, inclusive, no processo de emagrecimento. Mas, lembre-se: a melhor maneira de incluí-la na sua alimentação é contando com as orientações de um nutricionista.

LEIA MAIS IMPRIMIR ou SALVAR COMPARTILHAR ou SALVAR SALVAR PDF